Bem Vindo Visitante 8136055. Hoje é Domingo, 31 de Agosto de 2014· PESQUISAR · SITEMAP · VERSÃO INGLÊS

Produced by Adrian Frey   |   Developed by Claudio Fauvrelle

 
KPMG Mozambique
 
Publicidade
Anuncie Aqui!

Motorcare Moçambique
 
Últimos Classificados

Oferta De Trabalho Na Escola Françesa De Maputo (307)
Trabalhe Para O Unicef Moçambique: 11 Vagas Disponíveis Até 1 De Setembro (423)
Terrenos No Bilene (431)
1999 Honda Crv (329)
Oportunidade De Carreira (842)
Professor De Piano E Pianista (1067)


Últimos Concursos

Fornecimento De Mobiliário De Escritório, Manutenção E Reparação De Paineis Solares A Nível Da Região Norte
Construção Do Edifício Para O Serviço Distrital De Educação, Juventude E Tecnologia De Moma/aquisição De Uma Mini-bus E Uma Viatura Protocolar/aquisição De Mobiliário E Equipamento De Escritório
Manutenção E Reabilitação Do Seu Imóvel Para O Tribunal Aduaneiro De Inhambane
 

Moçambique Câmbios

MoedaCompraVenda
EUR40,0940,35
USD30,4230,62
ZAR2,852,87

Data: 30/08/2014
Fonte: Banco Moçambique
Admin LogIn
Username

Password



Noticias para Economia E Negócios

Agricultores sul-africanos deixam o seu país com destino a Moçambique




Ouvir com webReader
Enviar a um Amigo!


Publicidade
Hotel Cardoso




clubofmozambique (2012-11-21) Um número crescente de agricultores comerciais sul-africanos tem abandonado o seu país para iniciar projectos noutros países africanos e Moçambique é o destino preferido da maioria, disse hoje (terça-feira) um dirigente associativo.

"Em Moçambique já trabalham cerca de 950 agricultores e explorações de maiores dimensões por eles geridas são nas áreas do cultivo de cana-de-açúcar, bananas e criação de gado", disse à Lusa Dirk Hanekom, responsável da maior associação de agricultores do país, a Agri SA, para o mercado de Moçambique.

Hanekom salientou que os fazendeiros sul-africanos produzem em Moçambique um vasto leque de produtos, como milho e até hortícolas, tirando partido da qualidade dos solos, da abundância de água para regadio e dos relativamente baixos preços da electricidade e da mão-de-obra, factores que têm encarecido e mesmo inviabilizado muitas explorações agropecuárias na África do Sul por via de um encarecimento brutal dos custos.

"Os aumentos desenfreados do custo da electricidade, as inúmeras reivindicações sobre a posse de terras ao abrigo do programa de reforma agrária, as greves violentas e os consequentes aumentos dos salários dos trabalhadores agrícolas e a criminalidade no mundo rural são os factores determinantes que têm levado milhares de agricultores, com 'know-how' e capacidade técnica a emigrarem", referiu aquele dirigente.

A Agri SA é um facilitador, junto do Governo sul-africano e dos países com os quais a África do Sul tem acordos de protecção de investimentos, do estabelecimento de negócios em países africanos que envolvem os seus sócios.

"Em Angola, por exemplo, sabemos que, a nível individual, alguns fazendeiros já se estabeleceram produzindo bens alimentares em várias províncias, mas como não existem acordos bilaterais entre Pretória e Luanda não os incentivamos a ir para lá nem nos envolvemos na negociação de projectos", explicou Dirk Hanekom.

O Botswana, a Zâmbia e a República Democrática do Congo são alguns dos 28 países africanos nos quais a Agri SA afirma existirem explorações agrícolas geridas por fazendeiros sul-africanos.

"A situação na África do Sul, que é o maior celeiro do continente, é preocupante. Existe um vazio tremendo de liderança política, e quando os políticos se envolvem para resolver conflitos e problemas operacionais no sector, só têm em mente satisfazer as massas para conquistar votos sem se preocuparem com a agricultura", considerou Hanekom.

Fonte: RM


Pin It




Comentar Print this article | Esta notícia foi lida : 657 vezes.

Publicidade
Anuncie Aqui!

BeForward Japanese Used Cars
Parceiros


Vodacom Moçambique


Cardoso Hotel


Internet Solutions


Frexpo


Pam Golding Mozambique


LM Radio


Combustíveis
Gasolina Diesel
MT47.52 p/litro* MT36.81 p/litro*

* preços vàlidos para Maputo, Beira e Nacala

O Governo alterou os preços no dia 06/07/2011
Visto melhor com uma resolução de 1024x768 px.
   WAP Enabled