Bem Vindo Visitante 8473550. Hoje é Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014· PESQUISAR · SITEMAP · VERSÃO INGLÊS

Produced by Adrian Frey   |   Developed by Claudio Fauvrelle
Vodacom Mozambique
 
KPMG Mozambique
 
Publicidade
Anuncie Aqui!

Motorcare Moçambique
Crystal Smile
 
Últimos Classificados

Salgados Caseiros (18)
Para Aluguer: Escritórios Modernos E Mobilados (307)
Mitsubishi Pajero Io (653)
Oferta De Trabalho Na Escola Françesa De Maputo (1164)
Terrenos No Bilene (1088)
1999 Honda Crv (828)


Últimos Concursos

Prestação De Serviços, Empreitada De Obras, E Fornecimento
Construção Da Residência Protocolar Da Dpturi
Reabilitação Da Residência Da Dpji
 

Moçambique Câmbios

MoedaCompraVenda
EUR39,3439,60
USD30,7530,95
ZAR2,772,79

Data: 20/10/2014
Fonte: Banco Moçambique
Admin LogIn
Username

Password



Noticias para Moçambique

Dia da Independência: 35 anos de um Moçambique que “teima” em ser desenvolvido e próspero




Ouvir com webReader
Enviar a um Amigo!


Publicidade




clubofmozambique (2010-06-24) A Comissão Interministerial para Grandes Eventos Nacionais e Internacionais (CIGENI) considera estar tudo a postos para a celebração, no próximo dia 25 de Junho corrente, dos 35 anos da independência de Moçambique.

As cerimónias centrais desta data, a ser celebrada sob o lema “35 anos da Independência: Unidos na luta contra a pobreza- 3 gerações, um só Povo, uma só Nação”, terão lugar em Maputo, a capital do país, mas com réplica em todas outras províncias.

Cerca de 2.500 pessoas deverão participar em todos momentos do evento, nomeadamente a de deposição da coroa de flores no monumento dos Heróis moçambicanos, cerimónia oficial na Praça da Independência e na recepção oferecida pelo Chefe do Estado, Armando Guebuza, no Palácio da Ponta Vermelha.

Entre os convidados constam os monarcas do Lesoto e Suazilândia (os reis Letsie III e Mswati III), os Presidentes do Botswana, Zimbabué e do Zanzibar, antigos estadistas da África do Sul, Botswana, Namíbia, Zâmbia e Tanzânia, bem como representantes de diversos países vizinhos e amigos como Angola, Malawi, Maurícias, Namíbia e Portugal.

Alguns destes convidados começaram a chegar ainda hoje a Maputo e outros poderão desembarcar durante esta Quinta-feira.

Dentre vários momentos, o programa da Praça da Independência inclui o disparo de 21 salvas de canhão, a recepção, pelo Chefe do Estado, da tocha da Chama da Unidade, apresentação de discursos e um mega espectáculo, em que vão desfilar inúmeros artistas locais e provenientes de diversos pontos do país.

Recorde-se que a Chama da Unidade a ser recebida pelo Presidente Armando Guebuza foi acesa no passado dia 7 de Abril em Nangade, província de Cabo Delgado. Agora já percorreu todas as 10 províncias do país, estando agora a circular pelos distritos municipais da cidade capital.


"A paz e a luta contra a pobreza no balanço da independência" – Armando Guebuza

O Presidente moçambicano, Armando Guebuza, indicou ontem (quarta-feira) como grandes conquistas dos últimos 35 anos em Moçambique o alcance da paz e o combate à fome e pobreza extrema.

"Acho que é positivo. Estamos independentes, decidimos sobre o nosso destino, vencemos grandes desafios, em particular conseguimos instalar a paz no nosso país, saímos da fase de emergência, em que as pessoas não tinham sequer algo para comer, e hoje estamos a caminhar muito rapidamente para a fase de desenvolvimento, através do combate à pobreza", afirmou Armando Guebuza.

Em entrevista à Rádio de Moçambique, a um dia da celebração dos 35 anos de independência do país, o Presidente moçambicano defendeu que o estado da democracia está bem, com as instituições e as assembleias a funcionarem de forma "democrática" e a sociedade civil a "discutir e contribuir para a solução dos problemas, participando livremente".

Em 35 anos de independência, marcados pela guerra que opôs a FRELIMO (partido no poder) e a RENAMO (partido da oposição) durante 16 anos, terminada em 1992, Armando Guebuza preferiu salientar antes as "lições aprendidas".

"A guerra foi um dos professores que nos ensinou a ter um maior relacionamento com os países do exterior", com os quais, segundo o chefe de Estado moçambicano, o país tem hoje "boas relações".

Armando Guebuza, que elegeu como principal objectivo do segundo mandato o combate à pobreza, reafirmou também a necessidade de continuar a luta que, na sua opinião, "está ao alcance" do povo, nomeadamente da chamada "geração da viragem".

"A luta contra a pobreza já está a resultar, mas devemos prosseguir e dar golpes mais sólidos contra a pobreza", à qual se junta ainda "a corrupção, a atitude do deixa-andar e as doenças endémicas, que também devem fazer parte da batalha", explicou o governante.

Para tal, destacou, é fundamental o envolvimento do sector privado que, além de aumentar o emprego, a riqueza e as receitas do Estado, atrai os investidores estrangeiros.

O Presidente moçambicano reconheceu não serem ainda suficientes os serviços que o governo está a implementar, ao nível das estradas, telefones e energia eléctrica, mas salientou o esforço das autoridades no combate à criminalidade e corrupção.

Amanhã, Sexta feira, chega à Praça da Independência, na cidade de Maputo, a Chama da Unidade, uma iniciativa governamental que desde Abril de 2010 tem percorrido os 128 distritos do país, para recordar que, graças à unidade, Moçambique "se manteve como Estado, apesar da tentativa de divisão", realçou Armando Guebuza.


Fonte: Rádio de Moçambique


Pin It




Comentar Print this article | Esta notícia foi lida : 1001 vezes.

Publicidade
Anuncie Aqui!

BeForward Japanese Used Cars
Parceiros


Vodacom Moçambique


Cardoso Hotel


MMO, Mozambique Managed Offices Lda


Internet Solutions


Frexpo


Pam Golding Mozambique


Combustíveis
Gasolina Diesel
MT47.52 p/litro* MT36.81 p/litro*

* preços vàlidos para Maputo, Beira e Nacala

O Governo alterou os preços no dia 06/07/2011
Visto melhor com uma resolução de 1024x768 px.
   WAP Enabled