Bem Vindo Visitante 7404294. Hoje é Quinta-Feira, 24 de Abril de 2014· PESQUISAR · SITEMAP · VERSÃO INGLÊS

Produced by Adrian Frey   |   Developed by Claudio Fauvrelle

 
KPMG Mozambique
 
Publicidade
Anuncie Aqui!

Motorcare Moçambique
 
Últimos Classificados

Frexpo Auto: Vende-se Volvo S80 2.0t (125)
Frexpo Auto: Vende-se Volvo Xc90 T6 (131)
Camião E Veículo à Venda (195)
AnÚncio De Vagas Save The Children 2 (366)
AnÚncio De Vagas Save The Children (260)
Club Of Mozambique: Vaga De Jornalista (300)


Últimos Concursos

Fornecimento De Aparelhos De Ar-condicionado
Fornecimento De Prestação De Serviços De Viagens
Fornecimento De Equipamento Informático
 

Moçambique Câmbios

MoedaCompraVenda
EUR42,3042,58
USD30,5730,77
ZAR2,882,90

Data: 25/04/2014
Fonte: Banco Moçambique
Comentários

Envie-nos seu comentário sobre este website.

Últimos Comentários
Visitantes Online
Online Visitors: 12

Admin LogIn
Username

Password



Noticias para Moçambique

Raptos levam famílias portuguesas em Moçambique a tirar crianças do país




Ouvir com webReader
Enviar a um Amigo!


Publicidade




(2013-11-06) A insegurança na capital moçambicana, Maputo, tem levado as famílias portuguesas a fazer regressar as crianças a Portugal. O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, falou ao PÚBLICO de “dezenas de crianças” portuguesas que têm regressado, devido ao aumento da criminalidade.

O ambiente em Maputo é de grande preocupação, após a notícia do rapto de duas mulheres, uma portuguesa e uma moçambicana, nesta terça-feira. “Está a mexer com os nervos das pessoas”, conta Elsa Santos ao PÚBLICO, por telefone.

Uma criança de três anos também foi raptada, segundo adianta o jornal moçambicano A Verdade.

“Os miúdos andam aterrorizados, houve uma mãe que foi raptada em frente a uma escola”, explica a empresária luso-moçambicana, acrescentando que, nos últimos meses, “uma grande parte das crianças já foi embora para Portugal”.

A informação foi confirmada por José Cesário, que fala mesmo em “dezenas de crianças” que regressaram a Portugal. “Tenho conhecimento de pessoas que tiraram as crianças da escola e as mandaram para casa”, revelou.

Esta terça-feira tem sido um dos dias mais dramáticos da vaga de crimes que assola o país. De manhã, uma cidadã portuguesa foi raptada dentro da empresa onde trabalhava, na cidade-satélite de Matola. Ao PÚBLICO, José Cesário garantiu que o Governo português se tem mantido informado dos desenvolvimentos em Maputo. “Acreditamos que as autoridades locais vão saber lidar com a situação”, afirmou.

Um outro rapto, de uma moçambicana de 33 anos, ocorreu no bairro de Laulane, nos arredores da capital, dentro da sua própria casa, perante os seus filhos, irmã e cunhado, alegadamente por cinco homens. Também uma criança de três anos foi alvo de um sequestro, enquanto brincava com o irmão de sete.

O rapto da portuguesa é o segundo envolvendo cidadãos portugueses, de uma onda de sequestros que começou em 2011 e que tem visado sectores abastados da sociedade moçambicana.

Os sequestros têm sido mais comuns dentro da comunidade muçulmana de Maputo e “só a partir do Verão é que atingiu os portugueses”, nota José Cesário.

Na Assembleia da República, o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, referiu que "a situação em Moçambique é acompanhada com o cuidado e a preocupação" próprias de um país com quem Portugal tem uma "estreita cooperação técnico-militar”. “Desejamos que a situação se resolva o mais depressa possível, a bem da tranquilidade e desenvolvimento daquele país, e que se possa incrementar, assim haja condições financeiras para o futuro, a cooperação, que é, em Moçambique e Angola, das mais relevantes que Portugal tem neste âmbito”, afirmou, citado pela Lusa.

Entretanto, o cônsul de Portugal em Maputo, Gonçalo Teles Gomes, revelou nesta terça-feira à agência Lusa que há dois portugueses raptados em Moçambique há mais de uma semana.

O diplomata adiantou que um dos casos diz respeito a um adolescente que também tem nacionalidade moçambicana e o outro é relativo a um adulto do sexo masculino que é cidadão português.

A existência destes casos era desconhecida da opinião pública até hoje devido aos pedidos das respectivas famílias.

Vigílias nocturnas nos subúrbios
Para Elsa Santos, o aumento da criminalidade no país está relacionado com o momento de prosperidade económica que o país atravessa, depois da descoberta, em 2011, de reservas de gás natural que podem colocar o país entre os dez principais produtores mundiais.

“Acho que tem que ver com aumento da riqueza. Quando somos pobres, ninguém quer nada connosco”, observa a empresária. Elsa Santos não acredita que os raptos sejam obra apenas de moçambicanos, considerando haver alguma rede internacional à cabeça. “Pode haver alguém por trás dos crimes, custa-me a crer que os moçambicanos sejam assim. Joanesburgo [na África do Sul] é aqui perto e é um pólo de bandidagem”, sustenta.

A onda de criminalidade não atinge apenas os mais ricos, de acordo com a percepção da empresária. Os criminosos “não olham a quem”: “Nos subúrbios, há pessoas que não dormem, andam a fazer vigílias à noite”, explica.

O aumento do número de raptos e da violência é um cenário real e, quando isso acontecer, a fama de Maputo como uma cidade calma e harmoniosa pode passar à história. “Começo a acreditar que as moradias vão ficar vazias e as pessoas vão mudar-se para apartamentos em condomínios fechados, com muros altíssimos e seguranças enormes”, prevê Elsa Santos.

Fonte: Público


Pin It




Comentar Print this article | Esta notícia foi lida : 858 vezes.

Publicidade
Anuncie Aqui!

BeForward Japanese Used Cars
Parceiros


Vodacom Moçambique


Cardoso Hotel


Internet Solutions


Frexpo


Pam Golding Mozambique


LM Radio


Opinião
Qual a sua opinião acerca da inspecção de viaturas?

Uma boa decisão!

Deviam melhorar as infra-estruturas primeiro!

Discordo, não é preciso!

As exigências são muito severas, não há dinheiro para tantas alterações!

Combustíveis
Gasolina Diesel
MT47.52 p/litro* MT36.81 p/litro*

* preços vàlidos para Maputo, Beira e Nacala

O Governo alterou os preços no dia 06/07/2011
Visto melhor com uma resolução de 1024x768 px.
   WAP Enabled