Bem Vindo Visitante 7956092. Hoje é Sexta-Feira, 01 de Agosto de 2014· PESQUISAR · SITEMAP · VERSÃO INGLÊS

Produced by Adrian Frey   |   Developed by Claudio Fauvrelle

 
KPMG Mozambique
 
Publicidade
Anuncie Aqui!

Motorcare Moçambique
 
Últimos Classificados

Oportunidade De Carreira (120)
Professor De Piano E Pianista (747)
Vende-se Máquinas De Processamento De Caju / Compressoras / Gerador 300kw (617)
Toyota Hilux Surf. 3.0 Turbo Diesel. 1993 (914)
Venda De Viatura: Nissan Hardbody 3.2d (1236)
Frexpo Auto: Vende-se Volvo S80 2.0t (914)


Últimos Concursos

Fornecimento De Bombas Manuais, Pedestrais E Kits De Irrigação
Aquisição De Equipamento Para O Programa Nacional De Oftalmologia
Fornecimento De Laparoscópio E Respectivos Consumíveis
 

Moçambique Câmbios

MoedaCompraVenda
EUR40,7841,05
USD30,4030,60
ZAR2,872,89

Data: 30/07/2014
Fonte: Banco Moçambique
Admin LogIn
Username

Password



Noticias para Moçambique

Renamo acusa exército moçambicano de bombardear serra da Gorongosa




Ouvir com webReader
Enviar a um Amigo!


Publicidade
Hotel Cardoso




clubofmozambique (2014-02-10) A Renamo acusou domingo o exército de Moçambique de bombardear posições na serra da Gorongosa, centro do país, "onde o governo presume que possa estar" o líder do principal partido da oposição, Afonso Dhlakama.

"Desde sábado, foram disparados 11 roquetes contra zonas da serra da Gorongosa, onde vive muita população civil", disse domingo à Lusa, em Maputo, o porta-voz da Renamo.

Fernando Mazanga adiantou que a ofensiva começou na última quarta-feira, "com a concentração de efetivos em Gondola", província de Manica, a cerca de 300 quilómetros da serra da Gorongosa. "Estão desde ontem (sábado) a disparar contra uma área, na zona de Vunduzi e de Sandjudjira" disse Mazanga, referindo-se à região onde a Renamo tinha uma base, na qual viveu Afonso Dhlakama, até ser expulso pelo exército em outubro do último ano. Desde então, o líder da Renamo não voltou a ser visto, mas em diversas entrevistas que concedeu por telefone, Dhlakama tem afirmado que continua a viver na região.

A Lusa tentou uma reação do Ministério da Defesa Nacional de Moçambique, mas não houve respostas aos telefonemas. Os alegados bombardeamentos surgem depois de três semana de uma espécie de "tréguas" no conflito político-militar que afeta Moçambique e que já causou dezenas de mortes e milhares de refugiados. "Há semanas que a Renamo não faz movimentações militares e o governo aproveitou-se disso para concentrar homens em Gondola", acusou Mazanga.

Nas últimas semanas, o degelo entre as duas partes permitiu o adiamento do processo de recenseamento eleitoral e a retoma da discussão da lei eleitoral, prevista para a reabertura da sessão legislativa, ainda este mês.

Mas, apesar dos alegados ataques, Fernando Mazanga garantiu que o seu partido estará presente na ronda semanal de negociações com o governo, na segunda-feira em Maputo."Nós acreditamos no diálogo e não defendemos soluções militares", disse.


(Fonte: Lusa)



Pin It




Comentar Print this article | Esta notícia foi lida : 665 vezes.

Publicidade
Anuncie Aqui!

BeForward Japanese Used Cars
Parceiros


Vodacom Moçambique


Cardoso Hotel


Internet Solutions


Frexpo


Pam Golding Mozambique


LM Radio


Combustíveis
Gasolina Diesel
MT47.52 p/litro* MT36.81 p/litro*

* preços vàlidos para Maputo, Beira e Nacala

O Governo alterou os preços no dia 06/07/2011
Visto melhor com uma resolução de 1024x768 px.
   WAP Enabled